Terapia ocupacional promove qualidade de vida para idosos acolhidos pelo Lar de Santana

Terapia ocupacional promove qualidade de vida para idosos acolhidos pelo Lar de Santana

Com a chegada da terceira idade crescem os desafios para realizar diversas atividades do dia a dia, até mesmo as mais simples. Escovar os dentes, tomar banho, trocar de roupa, se alimentar, beber água e segurar objetos podem se tornar um fardo para o idoso.

Diante dessa realidade a terapia ocupacional (TO) tem sido apontada como um importante aliado das pessoas com mais de 60 anos para a manutenção da qualidade de vida e bem-estar. Área do conhecimento voltada para à prevenção e o tratamento de condições cognitivas, afetivas ou psicomotoras, a TO atua na manutenção das funções corporais e psicológicas do idoso, buscando promover a sua autonomia e autoestima.

No Lar de Santana, instituição de longa permanência para idosos administrada pela Ação Social Arquidiocesana (ASA), os encontros de terapia ocupacional acontecem nas manhãs de segunda a sexta-feira. A terapeuta ocupacional Margleide Machado explica que as atividades lúdicas e psicomotoras desenvolvidas nos atendimentos da TO auxiliam no controle de doenças tais como o Alzheimer, além de possibilitar aos idosos terem mais independência na realização de suas atividades diárias, ajudando-os a redescobrirem a alegria de viver.

“Buscamos sempre trabalhar no sentido de melhorar as limitações impostas pela idade, realizando atividades que sejam do interesse do idoso e focando no indivíduo como um todo, olhando para além da doença”, ressalta. Neste “Fevereiro Roxo”, a doença de Alzheimer é o foco das campanhas de conscientização.

Um outro importante benefício da terapia ocupacional é o estímulo para convivência social e as relações interpessoais. Irmã Cândida de Jesus, coordenadora do Lar, destaca que as atividades da TO estão entre as ações preferidas pelos idosos, fortalecendo a convivência dos acolhidos pelo local. “Tanto as atividades em grupo quanto individuais contribuem para fortalecer os vínculos e melhorar ainda mais a convivência entre os idosos, além de estimular a mente, para que eles passem a lidar melhor com os próprios sentimentos nesta fase tão especial que é a terceira idade”, destaca irmã Cândida.

Para a terceira idade, o principal objetivo da terapia ocupacional é manter no idoso a vontade de viver e mostrar para ele que o mundo continua cheio de possibilidades. E é assim que dona Alice Fernandes, de 83 anos, vivencia as atividades da TO junto aos demais acolhidos pelo Lar de Santana.

“Para mim é uma alegria muito grande poder sempre participar. Me ajuda a não ficar parado, ocupando a mente e dando alegria de viver. Gosto muito de fazer as atividades, pois me sinto melhor com a atenção e o respeito que eu recebo de todos aqui. Faz a gente enfrentar a vida com alegria e confiança”, afirma dona Alice.

A terapia ocupacional é parte integrante da dinâmica de funcionamento do Lar de Santana desde a sua fundação em 2015. Entre as ações desenvolvidas pela TO no local estão atividades de reabilitação cognitiva e motora, jogos, contação de histórias e atividades de estímulo à coordenação motora fina tais como colagem e pintura, utilizadas como estratégia para evitar a perda da memória e minimizar o aparecimento de demências.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.