Caravana marca conclusão do Projeto Florada dos Ipês

Caravana marca conclusão do Projeto Florada dos Ipês

A Ação Social Arquidiocesana de Teresina (ASA) realizou na manhã de sexta-feira (03) a Caravana Florada dos Ipês. O evento marcou a conclusão do projeto Florada dos Ipês, e contou com apresentações culturais produzidas pelas crianças e adolescentes assistidos pelos serviços da ASA.

Com a realização da Caravana, a instituição apresentou para a sociedade teresinense os resultados das ações realizadas ao longo da realização do projeto. De acordo com Suely Coelho, coordenadora da Casa de Zabelê, a caravana foi uma forma encontrada para potencializar o atendimento e o acompanhamento dos serviços da ASA que trabalham com crianças, adolescentes e a juventude em geral.

“Ele contribuiu com a integração dos serviços e das atividades, bem como beneficiou toda a rede socioassistencial na sensibilização da população sobre a importância da prevenção e do enfrentamento do trabalho infantil e da violência sexual na nossa capital”, explicou.

Conforme Valdeniria Silva, assistente social do Centro de Convivência Novos Meninos e Meninas, pensar o projeto Florada dos Ipês é compreender que a ASA se preocupa com as garantias dos direitos.

“A caravana hoje é um produto final de um trabalho que foi construído ao longo de muitos anos. Nesta oportunidade, nossos jovens trouxeram muita arte e cultura, por meio de oficinas socioeducativas em que eles são os protagonistas”, disse.

Crianças e adolescentes são prioridades absolutas não só no papel, mas também na prática. A ASA, por meio de seus serviços, estimulou a articulação da rede socioassistencial de Teresina, somando forças com outras instituições na luta pela garantia de direitos.

“Eu faço parte desse projeto há cinco anos e para mim foi uma experiência muito boa, pois estou criando mais coragem para falar em público, para me expressar melhor e isso me abre novas possibilidades que antes eu não tinha e passei a ter agora”, destacou Islânia Raquel, uma das assistidas pela Casa de Zabelê.

Para Michele Maria, assistida pelo serviço de convivência Integrar, o conhecimento obtido durante o projeto poderá ser transmitido para outras crianças.

“O Florada dos Ipês trouxe muita sabedoria, pois aprendi coisas que antes eu não sabia. Lá eu aprendi a perder medos e desenvolvi novos talentos que eu antes não sabia que tinha”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.