Casa de Zabelê e MPPI e lançam campanha de promoção da proteção e defesa dos direitos das mulheres

Casa de Zabelê e MPPI e lançam campanha de promoção da proteção e defesa dos direitos das mulheres

O Ministério Público do Estado do Piauí, por meio do Núcleo das Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (Nupevid), composto pelas 5ª e 10ª Promotorias de Justiça de Teresina, e a Casa de Zabelê, com apoio da Ação Social Arquidiocesana (ASA), realizarão, nesta terça-feira (09/11), no auditório do MPPI na sede Leste, o lançamento da campanha “Acolher e proteger mulheres em situação de violência: assim a gente faz a diferença!”.

 

A campanha busca dar visibilidade às ações desenvolvidas pela Casa de Zabelê no atendimento a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e/ou risco social e pessoal, em especial às iniciativas de proteção à mulher. Ainda durante o lançamento, será apresentada a mascote “Sol”. Inspirada no girassol, a personagem terá o propósito de humanizar a mensagem da campanha, conectando-se ao lema da Casa: “protegendo vidas, florescendo esperança”.

 

“A 5ª Promotoria de Justiça vem, juntamente à Zabelê, dar visibilidade para ações que fazem diferença na vida das mulheres. Essa campanha é, então, uma forma de mostrar para a sociedade a importância de iniciativas que garantam os direitos de crianças e adolescentes, em especial das meninas, e a mudança que isso proporciona na vida desse público”, diz a titular da 5ª PJ, Luísa Lacerda.

 

Ao longo de 25 anos, a Zabelê já atendeu 3.298 crianças e adolescentes. Atualmente, a Casa possui três núcleos de atendimento: o de Atendimento Direto, para a faixa etária de 07 a 17 anos e onze meses; o de Dança, para a faixa etária de 13 a 17 anos e onze meses; e o Núcleo da Profissionalização de Moda e Serigrafia, para adolescentes de 15 a 17 anos e onze meses. Além destes, a Casa também possui o Grupo de Convivência com as Famílias, o de Acompanhamento Escolar e o Núcleo da Produção e Comercialização, a Zabelê Moda.

 

“Nosso compromisso é de prevenir e enfrentar as diversas formas de violações de direitos contra crianças, adolescentes e suas respectivas famílias em situação de vulnerabilidade, através de atendimento psicológico, social e pedagógico, aliado a oficinas temáticas, atividades esportivas, dança, arte-educação e cursos profissionalizantes”, ressalta a coordenadora administrativa da Casa, Sueli Pereira.

 

Histórico de criação da Casa de Zabelê

 

A ideia de implantar a casa surgiu em 1994, frente à situação de violência imposta às crianças e adolescentes do sexo feminino que eram exploradas sexualmente nas principais praças de Teresina. Em 29 de agosto de 1996, a Casa de Zabelê foi aberta ao público, sendo fruto de uma parceria entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento, a Prefeitura Municipal de Teresina e a Ação Social Arquidiocesana. Atualmente, a ASA tem a responsabilidade de coordenar o serviço, e a Prefeitura Municipal de Teresina financia as ações.

Fonte: Ministério Público do Piauí

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.