/
/
Casa de Zabelê: protagonismo ao adolescente por meio da qualificação profissional

Notícias da ASA

Casa de Zabelê: protagonismo ao adolescente por meio da qualificação profissional

Um dos temas dos projetos conveniados ao Programa Nossas Crianças, desenvolvido desde 1993 pela Fundação Abrinq, é a qualificação profissional e a promoção do desenvolvimento de competências, habilidades práticas e empreendedoras que permita ao adolescente a ampliação de oportunidades de inserção ao mercado de trabalho.

O projeto Raízes do Brasil – Educação Profissional da Casa de Zabelê, realizado pela organização da sociedade civil Ação Social Arquidiocesana – Casa de Zabelê, localizada em Teresina – PI, traz uma nova forma de conceber a formação profissional do adolescente, por meio da moda e da serigrafia para 88 adolescentes de 15 a 17 anos.

Desde o ano passado, a instituição do Piauí é conveniada ao programa da Fundação Abrinq, que tem como objetivo fortalecer a atuação e qualificar o atendimento de organizações da sociedade civil. Para isso, repassa recursos financeiros às instituições que realizam atendimento direto e gratuito às crianças e aos adolescentes, entre 0 e 18 anos, que estão em situação de vulnerabilidade social, assim como oferece assessoramento técnico e administrativo para que as organizações possam melhorar a gestão institucional e ampliar seus atendimentos, realizando melhorias em espaços físicos, adquirindo materiais pedagógicos e alimentos de qualidade.

Suely Pereira, coordenadora da Casa de Zabelê, explica que a proposta do projeto é ampliar o universo cultural dos jovens, inserindo na programação o estudo das raízes da origem do povo brasileiro de uma forma muito prática. “Eles são orientados a elaborar um projeto de produto tendo como fio condutor os conteúdos pedagógicos e as técnicas trabalhadas durante os cursos. As habilidades desenvolvidas vão além do saber teórico e técnico. Esse conjunto de saberes estimula a capacidade de criar e desenvolver materiais, ao fim do estudo de cada raiz, utilizando os conhecimentos que foram objeto de aprendizagem no período”.

produto
Produtos confeccionados pelos adolescentes da Casa de Zabelê

O projeto está no início, mas já são identificados os primeiros resultados. “Percebemos inúmeros avanços junto aos adolescentes durante o desenvolvimento dos cursos: melhor oralidade e escrita; estímulo da criatividade; habilidades técnicas; senso crítico e de cidadania ampliados; competências importantes na execução de tarefas em equipe; responsabilidade e postura, pilares importantes para, posteriormente, ingressarem no mercado de trabalho como jovens aprendizes”, relata Suely.

A coordenadora ressaltou a importância do apoio ao projeto. “O convênio estabelecido com a Fundação Abrinq é fundamental para o desenvolvimento dos cursos profissionalizantes de moda e serigrafia na Casa de Zabelê, pois a redução de recursos financeiros inviabilizaria a continuidade do trabalho ofertado. Vem sendo fundamental para o desenvolvimento de um conjunto de conhecimentos teóricos e habilidades técnicas, fortalecendo o protagonismo dos adolescentes”.

28 anos de atuação

A ideia de implantar a instituição surgiu em 1994, frente à situação de violência imposta às crianças e aos adolescentes do sexo feminino, em Teresina. Em 1996, a Casa de Zabelê foi aberta ao público, sendo fruto de uma parceria entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento, a Prefeitura Municipal de Teresina e a Ação Social Arquidiocesana.

A Casa de Zabelê tem como objetivo prevenir e enfrentar as diversas formas de violações de direito contra crianças e adolescentes do sexo feminino, jovens de ambos os sexos e suas famílias, em situação de vulnerabilidade.

Atualmente, a Casa possui três núcleos de atendimento: o de Atendimento Direto para a faixa etária de 07 a 17 anos; o de Dança, para a faixa etária de 13 a 17 anos; e o Núcleo da Profissionalização de Moda e Serigrafia, para adolescentes de 15 a 17 anos. Além destes, a organização também possui o Grupo de Convivência com as Famílias, o de Acompanhamento Escolar e o Núcleo de Produção e Comercialização, a Zabelê Moda.

Compartilhar:

NOTÍCIAS

Os recursos arrecadados beneficiam serviços de atenção a pessoas em situação de vulnerabilidade Com o tema “Acende a fogueira